ULTIMA NOTICIA

sábado, 7 de maio de 2016

Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo são denunciados por Janot na Lava Jato


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresent ou ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncia contra a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR), o marido dela, o ex-ministro Paulo Bernardo, e o empresário Ernesto Kugler. Eles teriam cometido corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo as investigações da Lava-Jato, a campanha de Gleisi ao Senado em 2010 recebeu R$ 1 milhão do esquema de desvios de dinheiro da Petrobras. Há incídios de que o dinheiro teria sido entregue pelo doleiro Alberto Yousseff. A pedido de Gleisi e do marido, Kugler teria recebido em quatro parcelas.,, 

As informações são O ministro Teori Zavascki, relator da Lava-Jato no STF, vai analisar a denúncia e levar o caso para a análise da Segunda Turma do tribunal, formada por cinco integrantes. Se o colegiado receber a denúncia, o inquérito será transformado em ação penal e os investigados, em réus. Não há data prevista para isso acontecer.A denúncia foi elaborada com base em trechos da delação premiada do advogado Atonio Carlos Fioravente Pieruccini, que detalhou como o dinheiro foi repassado para a campanha da petista.

 Em depoimento ao Ministério Público Federal, ele afirmou ter transportado R$ 1 milhão de São Paulo para Curitiba, a pedido de Yousseff. O doleiro teria dito que a destinatária final do dinheiro era a campanha de Gleisi.Em nota, os advogados Rodrigo Mudrovitsch e Veronica Abdala Sterman, contratados para defender Gleisi e Paulo Bernardo, disse quem que receberam a notícia da denúncia com “inconformismo”. Segundo o texto, “todas as provas que constam no inquérito comprovam que não houve solicitação, entrega ou recebimento de nenhum valor por parte da senadora.

 A denúncia sequer aponta qualquer ato concreto cometido. Baseia-se apenas em especulações que não são compatíveis com o que se espera de uma acusação penal”.A defesa também argumentou que os depoimentos de delatores são contraditórios, o que tira “toda a credibilidade das supostas delações”. Os advogados também apontaram que Pieruccini trabalharia para Yousseff, o que fragilizaria ainda mais aos indícios apresentados pela PGR.


VEJA MAIS

Use do formulário ao final na página para mandar seu recado

Nome

E-mail *

Mensagem *