ULTIMA NOTICIA

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

ELEIÇÕES 2018 Lula vai ser candidato mesmo 'no pior dos cenários', diz Lindbergh Farias

São Paulo – Segundo o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nas eleições de 2018, é irreversível, mesmo no "pior dos cenários", que seria uma eventual condenação judicial em segunda instância. 
O "pior cenário", segundo o senador, que publicou um video nesta segunda-feira (16), se configuraria se a condenação do juiz Sergio Moro vier a ser confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Nesse caso, caberiam, primeiro, os chamados "embargos de declaração". Depois disso, caberiam também recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Superior Tribunal Federal (STF).
Mesmo com a condenação referendada pela Corte Suprema, ainda assim, a impugnação de Lula só poderia ser requerida por partidos de oposição a partir do seu registro de sua candidatura, que deve ocorrer no dia 15 de agosto do próximo ano. 
"Pede-se o registro, e começa a campanha de 45 dias. Dia 25 começa, inclusive, o programa eleitoral. Lula pode se registrar e ir para a campanha, independente de condenação", detalha o líder do PT no Senado. 
Requerida a impugnação, a defesa do ex-presidente teria até 12 de setembro para se manifestar, quando então sairia decisão do Tribunal Superior Eleitoral. "De 15 de agosto a 12 de setembro, Lula estará fazendo campanha pelo país inteiro", frisa Lindbergh.
"Se, no dia 12 de setembro, a Justiça disser que está impugnada a candidatura, temos dois caminhos: um é trocar a candidatura e o outro, que é o que vai acontecer, é fazer um recurso ao Supremo, que não vai ser julgado em setembro", analisa. 
Dados os prazos dos processos, uma decisão final do Supremo só viria depois de realizadas as eleições, e, se vencida por Lula, este viria "com muita legitimidade das urnas".  
"Duvido muito, sinceramente, que depois de uma vitória eleitoral de uma candidatura como a do Lula, o Supremo, depois da eleição, decida que o processo eleitoral está impugnado, e convoque novas eleições em 90 dias", diz o senador.
"Lula é candidato. Estou convencido de que a campanha vai girar em torno disso, e o nome do Lula vai crescer. Ele tem 35% das intenções de voto nas pesquisas, sem falar nada, só apanhando. Imagine o Lula na televisão dizendo o que vai fazer, o que já fez. Por mais que eles queiram, não vou conseguir impedir Lula de ser candidato à presidente da República", conclui Lindbergh.
Segundo ele, só a eleição de Lula pode "tirar o Brasil dessa situação que a gente está vivendo agora" e "interromper esses planos de entrega do patrimônio nacional, de prejuízo aos trabalhadores". 

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Obra do Prédio Câmara Municipal de Cajati vira novela mais de 10 anos parada


 A novela da obra da construção da Câmara municipal de Cajati parece não ter fim. A novela teve inicio na ocasião da inauguração do prédio quando os vereadores de oposição ao presidente da época, Jainir dos Santos Neves, PMDB, não queriam mudar para o novo prédio sem o termino final das obras do prédio. Mas depois acabaram concordando meio a contra gosto. Após a inauguração e a mudança para o novo prédio as obras acabaram parando por algum tempo, vindo ser reiniciado já no mandato do presidente, vereador Paulo Chagas de Castro, mas parou novamente devido denuncia feito pela oposição alegando que a planta não estava sendo executado de acordo com o projeto. Para alguns vereadores da época falaram que a obra poderia ser  demolida e reconstruída novamente desde que fosse realizada de acordo com o projeto. Mas tarde a obra foi embargada em definitivo pela justiça e ninguém falou mais no assunto já  passaram vários presidentes pela camara e a obra continua abandonada. A pergunta que a população faz é quem que vai pagar o prejuízo?Ate quando vai ficar parada. Pelo jeito a novela deve ter muitos capítulos ainda pela frente. É mais um absurdo com o dinheiro púbico municipal sem nenhum critério e planejamento e que paga com isso é você munícipes que paga seus impostos e os salários dos vereadores.

Caminhão de carga de ácido sulfúrico tomba e contamina rio em Cajati S/P

                          Caminhão tomba e vaza produto químico em Cajati, no Vale do Ribeira. (Foto: Arquivo Pessoal)


Um caminhão tombou na rodovia Régis Bittencourt e derramou ácido sulfúrico no Rio Jacupiranguinha, no município de  Cajati, no Vale do Ribeira. Mais de 200 pessoas,  moradoras próximo ao local do acidente, deixaram  suas casas para não serem contaminadas. Equipes da Defesa Civil, CETESB, e Corpo de Bombeiros e Sabesp estiveram no local monitorando a área.

De acordo com informações da Policia Rodoviária, o motorista do caminhão perdeu o controle do veículo, nesta ultima quinta-feira (26), no km 502 da rodovia Regis Bittencourt, na pista sentido Curitiba. Com a queda, o tanque do caminhão rasgou e a carga de ácido sulfúrico foi derramada. 

O caminhoneiro não ficou ferido. O veículo foi retirado nesta sexta-feira (27).O rio Jacupiranguinha é o mesmo que cruza o centro da cidade de Cajati que poderá ser contaminado pelo acido, embora a Sabesp garanta que a água esta limpa mas mesmo assim a população não deve usar a água para banho e nem para tomar para não colocar em risco a saúde.Mas detalhes nas próximas horas


quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Deputado Caio França pede mais policiamento para Cajati Vale do Ribeira SP

Resultado de imagem

Com o aumento da população de Cajati também aumentou os problemas sociais como  falta de emprego uma vez que o município não tem uma política voltada nesse sentido. Mas o maior problema do momento é a falta de segurança. Nos últimos anos a população vem enfrentando problemas de furtos de residências tornando-se um serio problema para os moradores do município que estão ficando a cada dia mais preocupados. Diante de tantas reclamações o deputado Caio França encaminhou documento junto a Secretaria de Segurança pedindo a possibilidade de aumento do efetivo de policia Civil e Militar no município de Cajati. Veja o documento protocolado. Mas detalhes nas próximas horas.

Da Reportagem local
Francisco Pires de Oliveira

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

"Pastor Marcos Feliciano " Bancada Evangélica votou a favor de Michel Temer

Resultado de imagem para foto da bancada evangelica que defenderam temer

Depois da maioria dos deputados da bancada evangélica terem votados a favor do encerramento da denuncia de corrupção passiva do atual presidente da republica Michel Temer, as comunidades evangélicas mostram-se bastante e decepcionadas com as atitudes dos deputados evangélicos que eles votaram e tinham como seus veadeiros representantes. 

Depois da votação da semana passada que arquivou a denuncia, nas redes sociais os deputados estão recebendo duras criticas e as promessas de que não terão mais seus votos nas próximas eleições. 

De todos os deputados os mais malhados esta sendo o Pastor Marcos Feliciano que alem ser deputado Pastor da Assembleia de Deus alem de ser pregador do evangelho em grandes eventos  

Sua credibilidade esta em baixa com seus eleitores. As  as indignações que se espalhou pelo Brasil nestes últimos dias também chegou a Cajati pois o deputado  costuma em todas as eleições abocanhar votos dos evangélicos do município. 

Também todos os anos costuma  participar do Evento Evangélico Atalaia de Cristo onde tem se tornado pregador oficial do evento. Muitos frequentadores do evento se mostraram decepcionados com o deputado e religioso pastor Feliciano após ele ter defendido e votado para o arquivamento da denuncia contra Temer. 

O ano que vem será ano eletivo quando os deputados deverão  buscar apoio em Cajati para as eleições e também teremos o Evento que acontece antes das eleições, será que o povo ate La já esqueceu ou vão dar o troco que ele merece.

Outra pergunta que não quer se calar é ,será que ele vai ter o mesmo prestigio como pregador em Cajati no Evento dos Atalaias e que ele será o numero um preferido dos organizadores do Evento é bom esperar para ver.Ate breve 

sábado, 5 de agosto de 2017

Aposentadoria por idade já é identificada automaticamente



                        APOSENTADORIA
O INSS determinou, por meio de portaria, o reconhecimento automático da aposentadoria por idade a partir da verificação das informações constantes nos sistemas da autarquia e nas bases de dados do governo federal. A medida, em vigor desde o fim de julho, estabelece que o segurado não precisa mais comparecer a um posto de atendimento para solicitar esse tipo de aposentadoria. As informações são da Agência Brasil. 
O INSS vai fazer uma pesquisa mensal para identificar os segurados que já têm o direito disponível e enviará comunicado sobre a concessão do benefício. O segurado também poderá requerer a concessão do benefício por meio do canal 135. Para a realização do pedido será solicitada a confirmação dos dados pessoais, como ocorre no sistema tradicional. 
De acordo com a portaria, o INSS enviará comunicado indicando as informações sobre os dados da concessão e pagamento do benefício ao cidadão assim que houver o reconhecimento do direito. 
APOSENTADO POR IDADE 
Atualmente, a aposentadoria por idade é um benefício ao trabalhador que comprovar o mínimo de 180 meses de trabalho, além da idade mínima de 65 anos, se homem, ou 60 anos, se mulher. Para o chamado "segurado especial", a idade mínima é reduzida em cinco anos. 
No grupo de segurados especiais estão profissões como agricultor familiar, pescador artesanal, além de indígenas. Para receber o benefício nessa condição, o trabalhador deve estar exercendo a atividade no momento da solicitação do benefício. Caso não comprove o tempo mínimo de trabalho necessário ao segurado especial, o trabalhador poderá pedir o benefício com a mesma idade do trabalhador urbano, somando o tempo de trabalho como segurado especial ao tempo de trabalho urbano. 
Informações como cálculo do benefício e documentos necessários para solicitação do benefício podem ser acessadas na página do INSS.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Veja os votos dos deputados na denúncia de corrupção contra Temer

Os deputados votaram nesta quarta-feira (2) o parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara que é favorável ao arquivamento da denúncia contra o presidente Michel Temer. Os deputados que votaram Sim foram a favor do relatório e contra a denúncia. Os deputados que votaram Não foram a favor de autorizar o Supremo Tribunal Federal (STF).
SIM: 264
NÃO: 227
ABSTENÇÃO: 002
TOTAL: 493
AUSENTES: 019
RORAIMA
Abel Mesquita Jr. (DEM) - SIM
Carlos Andrade (PHS)- Não
Édio Lopes (PR) - SIM
Hiran Gonçalves (PP) - SIM
Jhonatan de Jesus (PRB) - SIM
Maria Helena (PSB) - SIM
Remídio Monai (PR) - SIM
Shéridan (PSDB) - Ausente
RIO GRANDE DO SUL
Afonso Hamm (PP) - NÃO
Afonso Motta (PDT) - NÃO
Alceu Moreira (PMDB) - SIM
Bohn Gass (PT) - NÃO
Cajar Nardes (PR) - SIM
Carlos Gomes (PRB) - NÃO
Danrlei de Deus Hinterholz (PSD) - NÃO
Darcísio Perondi (PMDB) - SIM
Giovani Cherini (PDT) - Ausente
Heitor Schuch (PSB) - NÃO
Henrique Fontana (PT) - NÃO
Jerônimo Goergen (PP) - NÃO
João Derly (REDE) - NÃO
José Fogaça (PMDB) - SIM
José Otávio Germano (PP) - SIM
Jose Stédile (PSB) - NÃO 
Luis Carlos Heinze (PP) - NÃO
Marco Maia (PT) - NÃO
Marcon (PT) - NÃO
Maria do Rosário (PT) - NÃO
Mauro Pereira (PMDB) - SIM
Onyx Lorenzoni (DEM) - NÃO
Osmar Terra (PMDB) - SIM
Paulo Pimenta (PT) - NÃO
Pepe Vargas (PT) - NÃO
Pompeo de Mattos (PT) - NÃO
Renato Molling (PP) - SIM
Ronaldo Nogueira (PTB) - SIM
Sérgio Moraes (PTB) - SIM
Yeda Crusius (PSDB) – SIM
SANTA CATARINA 
Carmen Zanotto (PPS) - NÃO
Celso Maldaner (PMDB) - SIM
Cesar Souza (PSD) - SIM
Décio Lima (PT) - NÃO
Esperidião Amin (PP) - NÃO
Geovania de Sá (PSDB) - NÃO
João Paulo Kleinübing (PSD) - SIM
João Rodrigues (PSD) - SIM
Jorge Boeira (PP) - SIM
Jorginho Mello (PR) - NÃO
Marco Tebaldi (PSDB) - SIM
Mauro Mariani (PMDB) - NÃO
Rogério Peninha Mendonça (PMDB) - SIM
Ronaldo Benedet (PMDB) - SIM
Valdir Colatto (PMDB) - SIM
AMAPÁ
André Abdon (PP) - SIM
Cabuçu Borges (PMDB) - SIM
Janete Capiberibe (PSB) - NÃO
Jozi Araújo (PTN) - SIM
Marcos Reategui (PSD) - AUSENTE 
Professora Marcivania (PCdoB) - NÃO
Roberto Góes (PDT) - SIM
Vinicius Gurgel (PR) - SIM
PARÁ
:Arnaldo Jordy (PPS) - NÃO 
Beto Faro (PT) - NÃO
Beto Salame (PP) - SIM
Delegado Éder Mauro (PSD) - SIM
Edmilson Rodrigues (PSOL) - NÃO
Elcione Barbalho (PMDB) - SIM
Francisco Chapadinha (PTN) - SIM
Hélio Leite (DEM) - SIM
Joaquim Passarinho (PSD) - NÃO
José Priante (PMDB) - SIM
Josué Bengtson (PTB) - SIM
Júlia Marinho (PSC) - SIM
Lúcio Vale (PR)- SIM
Nilson Pinto (PSDB) - SIM
Simone Morgado (PMDB) - SIM
Wladimir Costa (SD) - SIM
Zé Geraldo (PT) - NÃO
PARANÁ
Alex Canziani (PTB) - SIM
Alfredo Kaefer (PSL) - SIM
Aliel Machado (REDE) - NÃO
Assis do Couto (PDT) - NÃO
Christiane de Souza Yared (PR) - NÃO
Delegado Francischini (SD) - NÃO
Diego Garcia (PHS) - NÃO
Dilceu Sperafico (PP) - SIM
Edmar Arruda (PSD) - SIM
Enio Verri (PT) - NÃO 
Evandro Roman (PSD) - SIM
Giacobo (PR) - SIM
Hermes Parcianello (PMDB) - SIM
João Arruda ( PMDB) - SIM
Leandre (PV) - NÃO
Leopoldo Meyer (PSB) - NÃO
Luciano Ducci (PSB) - AUSENTE
Luiz Carlos Hauly (PSDB) - SIM
Luiz Nishimori (PR)- SIM
Nelson Meurer (PP) - SIM
Nelson Padovani (PSDB) - SIM
Osmar Bertoldi (DEM) - SIM
Osmar Serraglio (PMDB) - AUSENTE
Reinhold Stephanes (PSD) -AUSENTE
Rubens Bueno (PPS) - NÃO
Sandro Alex (PSD) - NÃO
Sergio Souza (PMDB) - SIM
Takayama (PSC) - SIM
Toninho Wandscheer (PROS) - SIM
Zeca Dirceu (PT) - NÃO
MATO GROSSO DO SUL
Carlos Marun (PMDB) - SIM
Dagoberto Nogueira (PDT) - NÃO
Elizeu Dionizio (PSDB) - SIM
Geraldo Resende (PSDB) - SIM
Mandetta (DEM) - NÃO
Tereza Cristina (PSB) - SIM
Vander Loubet (PT) - NÃO
Zeca do PT (PT) - NÃO
AMAZONAS
Alfredo Nascimento (PR) - SIM
Arthur Virgílio Bisneto (PSDB) - SIM
Átila Lins (PSD) - SIM
Conceição Sampaio (PP) - NÃO
Hissa Abrahão (PDT) - NÃO
Pauderney Avelino (DEM) - SIM
Sabino Castelo Branco (PTB) - SIM
Silas Câmara (PRB) - SIM
RONDÔNIA
Expedito Netto (PSD) - NÃO
Lindomar Garçon (PRB) - SIM
Lucio Mosquini (PMDB) - SIM
Luiz Cláudio (PR) - SIM
Marcos Rogério (DEM) - NÃO
Mariana Carvalho (PSDB) - NÃO
Marinha Raupp (PMDB) - SIM
Nilton Capixaba (PTB) - SIM
GOIÁS
Alexandre Baldy (PTN) - SIM
Célio Silveira (PSDB) - SIM
Daniel Vilela (PMDB) - SIM
Delegado Waldir (PR) - AUSENTE
Fábio Sousa (PSDB) - NÃO
Flávia Morais (PDT) - NÃO
Giuseppe Vecci (PSDB) - SIM
Heuler Cruvinel (PSD) - SIM
João Campos (PRB) - SIM
Jovair Arantes (PTB) - SIM
Lucas Vergilio (SD) - SIM
Magda Mofatto (PR) - SIM
Marcos Abrão (PPS) - NÃO
Pedro Chaves (PMDB) - SIM
Roberto Balestra (PP) - SIM
Rubens Otoni (PT) - NÃO
Thiago Peixoto (PSD) - SIM
DISTRITO FEDERAL
Alberto Fraga (DEM) - SIM
Augusto Carvalho (SD) - NÃO
Erika Kokay (PT) - NÃO
Izalci Lucas (PSDB) - SIM
Laerte Bessa (PR) - SIM
Rogério Rosso (PSD) - SIM
Ronaldo Fonseca (PROS) - SIM
Rôney Nemer (PP) - AUSENTE
ACRE
Alan Rick (PRB) - NÃO
Angelim (PT) - NÃO
César Messias (PSB) - NÃO
Flaviano Melo (PMDB) - SIM
Jéssica Sales (PMDB) - SIM
Leo de Brito (PT) - NÃO
Moisés Diniz (PCdoB) - NÃO
Rocha (PSDB) - NÃO
TOCANTINS
Carlos Henrique Gaguim (PTN) - SIM
César Halum (PRB) - NÃO
Dulce Miranda (PMDB) - SIM
Irajá Abreu (PSD) - NÃO
Josi Nunes (PMDB) - SIM
Lázaro Botelho (PP) - SIM
Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM) - SIM
Vicentinho Júnior (PR) - AUSENTE
MATO GROSSO
Adilton Sachetti (PSB) - SIM
Carlos Bezerra (PMDB) - SIM
Ezequiel Fonseca (PP) - SIM
Fabio Garcia (PSB) - SIM
Nilson Leitão (PSDB) - SIM
Professor Victório Galli (PSC) - SIM
Rogério Silva (PMDB) - SIM
Ságuas Moraes (PT) - NÃO
SÃO PAULO
Nelson Marquezelli (PTB) - SIM
Nilto Tatto (PT) - NÃO
Orlando Silva (PCdoB) - NÃO
Paulo Freire (PR) - SIM
Paulo Maluf (PP) - SIM (votou antes)
Paulo Pereira da Silva (SD) - SIM
Paulo Teixeira (PT) - NÃO
Pollyana Gama (PPS) - NÃO
Pastor Marco Feliciano (PSC) - SIM 
Renata Abreu (PTN) - NÃO
Ricardo Izar (PP) - SIM
Ricardo Tripoli (PSDB) - NÃO
Roberto Alves (PRB) - SIM
Roberto de Lucena (PV) - SIM
Roberto Freire (PPS) - NÃO
Sérgio Reis (PRB) - NÃO
Silvio Torres (PSDB) - NÃO
Tiririca (PR) - NÃO
Valmir Prascidelli (PT) - NÃO
Vanderlei Macris (PSDB) - NÃO
Vicente Candido (PT) - NÃO
Vicentinho (PT) - NÃO
Vinicius Carvalho (PRB) - SIM
Vitor Lippi (PSDB) - NÃO
Walter Ihoshi (PSD) - SIM
MARANHÃO
Aluisio Mendes (PTN) - SIM
André Fufuca (PP) - SIM
Cleber Verde (PRB) - SIM
Deoclides Macedo (PDT) - NÃO
Eliziane Gama (PPS) - NÃO
Hildo Rocha (PMDB) - SIM
João Marcelo Souza (PMDB) - SIM
José Reinaldo (PSB) - SIM
Junior Marreca (PEN) - SIM
Juscelino Filho (DEM) - SIM 
Luana Costa (PSB) - NÃO
Pedro Fernandes (PTB) - SIM
Rubens Pereira Júnior (PCdoB) - NÃO
Sarney Filho (PV) - SIM
Victor Mendes (PSD) - SIM
Waldir Maranhão (PP) - NÃO
Weverton Rocha (PDT) - NÃO
Zé Carlos (PT) - NÃO
CEARÁ
Adail Carneiro (PP) - NÃO
André Figueiredo (PDT) - NÃO
Aníbal Gomes (PMDB) - SIM
Ariosto Holanda (PDT) - NÃO
Cabo Sabino (PR) - NÃO
Chico Lopes (PCdoB) - NÃO
Danilo Forte (PSB) - SIM
Domingos Neto (PSD) - SIM
Genecias Noronha (SD) - SIM
Gorete Pereira (PR) - SIM
José Airton Cirilo (PT) - NÃO
José Guimarães (PT) - NÃO
Leônidas Cristino (PDT) - SIM
Luizianne Lins (PT) - NÃO
Macedo (PP) - SIM
Moses Rodrigues (PMDB) - SIM
Odorico Monteiro (PSB) - NÃO
Paulo Henrique Lustosa (PP) - SIM
Raimundo Gomes de Matos (PSDB) - AUSENTE
Ronaldo Martins (PRB) - NÃO
Vaidon Oliveira (DEM) - SIM
Vitor Valim (PMDB) - NÃO
RIO DE JANEIRO
Hugo Leal (PSB) - NÃO
Jair Bolsonaro (PSC) - NÃO 
Jandira Feghali (PCdoB) - NÃO
Jean Wyllys (PSOL) - NÃO
Julio Lopes (PP) - SIM
Laura Carneiro (PMDB) - NÃO
Leonardo Picciani (PMDB) - SIM
Luiz Carlos Ramos (PTN) - NÃO
Luiz Sérgio (PT) - NÃO
Marcelo Delaroli (PR) - SIM
Marcelo Matos (PHS) - NÃO
Marco Antônio Cabral (PMDB) - SIM
Marcos Soares (DEM) - SIM
Miro Teixeira (REDE) - NÃO
Otavio Leite (PSDB) - NÃO
Paulo Feijó (PR) - SIM
Pedro Paulo (PMDB) - SIM
Roberto Sales (PRB) - SIM
Rodrigo Maia (DEM) - presidente da Casa - não vota
Rosangela Gomes (PRB) - SIM
Sergio Zveiter (PMDB) - NÃO
Simão Sessim (PP) - SIM
Soraya Santos (PMDB) - SIM
Sóstenes Cavalcante (DEM) - NÃO
Wadih Damous (PT) - NÃO
Walney Rocha (PEN) - SIM
Zé Augusto Nalin (PMDB) - SIM
ESPÍRITO SANTO
Carlos Manato (SD) - NÃO
Dr. Jorge Silva (PHS) - NÃO
Evair Vieira de Melo (PV) - NÃO
Givaldo Vieira (PT) - NÃO
Helder Salomão (PT) - NÃO
Lelo Coimbra (PMDB) - SIM
Marcus Vicente (PP) - SIM
Norma Ayub (DEM) - NÃO
Paulo Foletto (PSB) - NÃO
Sergio Vidigal (PDT) - NÃO
PIAUÍ
Assis Carvalho (PT) - NÃO
Átila Lira (PSB) - SIM
Heráclito Fortes (PSB) - SIM
Iracema Portella (PP) - SIM 
Júlio Cesar (PSD) - SIM
Maia Filho (PP) - SIM
Marcelo Castro (PMDB) - AUSENTE
Paes Landim (PTB) - SIM
Rodrigo Martins (PSB) - NÃO
Silas Freire (PODE) - NÃO
RIO GRANDE DO NORTE
Antônio Jácome (PTN) - NÃO
Beto Rosado (PP) - SIM
Fábio Faria (PSD) - SIM
Felipe Maia (DEM) - 
Rafael Motta (PSB) - SIM
Rogério Marinho (PSDB) - SIM
Walter Alves (PMDB) - SIM
Zenaide Maia (PR) - NÃO
MINAS GERAIS
Jô Moraes (PCdoB) - NÃO
Júlio Delgado (PSB) - NÃO
Laudivio Carvalho (SD) - NÃO
Leonardo Monteiro (PT) - NÃO
Leonardo Quintão (PMDB) - SIM
Lincoln Portela (PRB) - NÃO
Luis Tibé (PTdoB) - SIM
Luiz Fernando Faria (PP) - SIM
Luzia Ferreira (PPS) - NÃO
Marcelo Álvaro Antônio (PR) - NÃO
Marcelo Aro (PHS) - SIM
Marcos Montes (PSD) - SIM
Marcus Pestana (PSDB) - SIM
Margarida Salomão (PT) - NÃO
Mauro Lopes (PMDB) - SIM
Misael Varella (DEM) - SIM
Newton Cardoso Jr (PMDB) - SIM
Padre João (PT) - NÃO
Patrus Ananias (PT) - NÃO
Paulo Abi-Ackel (PSDB) - SIM
Raquel Muniz (PSD) - SIM
Reginaldo Lopes (PT) - NÃO
Renato Andrade (PP) - SIM
Renzo Braz (PP) - SIM
Rodrigo de Castro (PSDB) - SIM
Rodrigo Pacheco (PMDB) - ABSTENÇÃO
Saraiva Felipe (PMDB) - SIM
Stefano Aguiar (PSD) - NÃO
Subtenente Gonzaga (PDT) - NÃO
Tenente Lúcio (PSB) - SIM
Toninho Pinheiro (PP) - SIM
Weliton Prado (PMB) - NÃO
Zé Silva (SD) - SIM
BAHIA
Afonso Florence (PT) - NÃO
Alice Portugal (PCdoB) - NÃO 
Antonio Brito (PSD) - NÃO
Antonio Imbassahy (PSDB) - SIM
Arthur Oliveira Maia (PPS) - SIM
Bacelar (PTN) - NÃO
Bebeto (PSB) - NÃO 
Benito Gama (PTB) - SIM
Cacá Leão (PP) - SIM
Caetano (PT) - NÃO
Claudio Cajado (DEM) - SIM
Daniel Almeida (PCdoB) - NÃO
Elmar Nascimento (DEM) - SIM
Erivelton Santana (PEN) - SIM
Félix Mendonça Júnior (PDT) - NÃO
Fernando Torres (PSD) - NÃO 
Irmão Lazaro (PSC) - NÃO
João Carlos Bacelar (PR) - SIM
João Gualberto (PSDB) - NÃO
Jorge Solla (PT) - NÃO
José Carlos Aleluia (DEM) - SIM 
José Carlos Araújo (PR) - SIM
José Nunes (PSD) - NÃO
José Rocha (PR) - SIM
Josias Gomes (PT) - NÃO
Jutahy Junior (PSDB) - NÃO
Lucio Vieira Lima (PMDB) - SIM 
Márcio Marinho (PRB) - SIM
Mário Negromonte Jr. (PP) - SIM 
Nelson Pellegrino (PT) - NÃO
Pastor Luciano Braga (PRB) - SIM
Paulo Azi (DEM) - SIM
Paulo Magalhães (PSD) - NÃO
Roberto Britto (PP) - SIM
Ronaldo Carletto (PP) - AUSENTE
Sérgio Brito (PSD) - NÃO 
Uldurico Junior (PV) - NÃO
Valmir Assunção (PT) - NÃO
Waldenor Pereira (PT) - NÃO
PARAÍBA
Aguinaldo Ribeiro (PP) - SIM
André Amaral (PMDB) - SIM
Benjamin Maranhão (SD) - SIM
Damião Feliciano (PDT) - NÃO 
Efraim Filho (DEM) - SIM
Hugo Motta (PMDB) - SIM
Luiz Couto (PT) - NÃO
Pedro Cunha Lima (PSDB) - NÃO
Rômulo Gouveia (PSD) - SIM
Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) - NÃO
Wellington Roberto (PR) - NÃO
Wilson Filho (PTB) - AUSENTE
PERNAMBUCO
Adalberto Cavalcanti (PTB) - SIM
André de Paula (PSD) - NÃO
Augusto Coutinho (SD) - SIM
Betinho Gomes (PSDB) - NÃO
Bruno Araújo (PSDB) - SIM
Daniel Coelho (PSDB) - NÃO
Danilo Cabral (PSB) - NÃO
Eduardo da Fonte (PP) - SIM
Fernando Coelho Filho (PSB) - SIM
Fernando Monteiro (PP) - SIM
Gonzaga Patriota (PSB) - NÃO
Jarbas Vasconcelos (PMDB) - NÃO
João Fernando Coutinho (PSB) - AUSENTE
Jorge Côrte Real (PTB) - SIM
Luciana Santos (PCdoB) - NÃO
Luciano Bivar (PSL) - SIM
Marinaldo Rosendo (PSB) - SIM
Mendonça Filho (DEM) - SIM
Pastor Eurico (PHS) - NÃO
Ricardo Teobaldo (PTN) - SIM
Sebastião Oliveira (PR) - SIM 
Silvio Costa (PTdoB) - NÃO 
Tadeu Alencar (PSB) - NÃO 
Wolney Queiroz (PDT) - NÃO 
Zeca Cavalcanti (PTB) - SIM
SERGIPE
Adelson Barreto (PR) - NÃO 
Andre Moura (PSC) - SIM
Fábio Mitidieri (PSD) - NÃO
Fabio Reis (PMDB) - SIM
João Daniel (PT) - NÃO
Jony Marcos (PRB) - NÃO
Laercio Oliveira (SD) - NÃO
Valadares Filho (PSB) - NÃO
ALAGOAS
Arthur Lira (PP) - SIM
Cícero Almeida (PMDB) - SIM
Givaldo Carimbão (PHS) - NÃO 
JHC (PSB) - NÃO
Marx Beltrão (PMDB) - SIM
Maurício Quintella (PR)- SIM
Paulão (PT) - NÃO
Pedro Vilela (PSDB) - AUSENTE
Ronaldo Lessa (PDT) - NÃO


VEJA MAIS

Use do formulário ao final na página para mandar seu recado

Nome

E-mail *

Mensagem *