ULTIMA NOTICIA

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Dilma vai a Nova York denunciar o golpe


O governo dedicou parte da segunda-feira, 18, para desenhar estratégia de reação ao impeachment e tentar reverter a situação no Senado. Nesta terça-feira, 19, a presidente Dilma Rousseff teria discutido com auxiliares, inclusive, a possibilidade de ir a Nova York para participar da Cerimônia de Assinatura do Acordo de Paris sobre Mudança do Clima, na Organização das Nações Unidas (ONU), que ocorrerá na próxima sexta-feira,22. Segundo interlocutores, a presidente pretende usar a tribuna internacional para denunciar o que chama de "golpe", com relação ao processo de impeachment em curso no Senado.Na semana passada, a viagem dependia da não aprovação do processo de impeachment na Câmara no último domingo, 17. Com a derrota, a viagem foi suspensa, mas agora, com a estratégia de uma superexposição de Dilma para denunciar o que ela chama de "golpe", a presidente voltou a discutir o assunto com seus auxiliares, sem ainda uma decisão definitiva.O chamado "escalão avançado" com seguranças e diplomatas, que prepara a visita da chefe de Estado, deve chegar a Nova York nesta quarta-feira, 20. A ida do séquito de Dilma, no entanto, não significa que a viagem está definida. A ideia é que a presidente embarque nesta quinta-feira, 21,  e volte no sábado, 23.Em caso de viagem de Dilma, quem assume o cargo é o seu vice-presidente Michel Temer, a quem Dilma tem acusado de “traidor”, “golpista” e “conspirador”.Agenda. Além de Nova York, a agenda de Dilma com eventos populares será retomada na próxima semana com uma viagem prevista a Salvador (BA). A viagem deve ocorrer na segunda-feira ou terça-feira da próxima semana para uma cerimônia de entrega de unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida.       

VEJA MAIS

Use do formulário ao final na página para mandar seu recado

Nome

E-mail *

Mensagem *